Links do Ocioso, agregador de conteúdo

quarta-feira, maio 26, 2010

Nas mãos dela e Dele

Anjo (do latim angelus, mensageiro), de acordo com a tradição cristã é uma criatura celestial, superior aos homens, entretanto abaixo de Deus. É o faz-tudo Dele. Comumente são representados na forma de crianças, devido à inocência e virtude destas, com belezas delicadas e fortes brilhos. Na hagiografia cristã, não raro, são atribuído-lhes diversos milagres. A crença corrente nesses moldes cristãos é a de que entre as suas atribuições figura o auxílio à humanidade na aproximação com o Todo-Poderoso.  São classificados de acordo com a hierarquia em três ordens ou tríades: a primeira, anjos bem próximos a Deus; a segunda, os Príncipes da Corte Celestial; a última, os anjos ministrantes, ligados ao mundo material.
Não sou místico, longe disso, mas acho que entrei em contato com um. Na verdade, esse integrante da terceira tríade, enviou-me um e-mail ontem. Só pode ser. De acordo com seu relato, ela é uma protetora independente; castrou por volta de 60 animais ano passado; negocia preço com veterinários para poder continuar seu trabalho árduo e, ao mesmo tempo, prazeroso; compra vacina de uma ONG; mantém um convênio com um Pet para deixá-los ali, temporariarmente; resgata cães e não descansa até que o animal esteja em um lar onde a posse seja responsável. 
Essa empreendedora que se desvia das dificuldades intencionando alcançar seu grande objetivo, um lar para quem não faz a menor idéia do que isso seja, só pode ser uma dessas criaturas. E a maior prova disso é o título que criou na hora de escrever o e-mail, "publicação da foto de um anjo". Não, não era uma foto dela, mas de uma cadelinha que está sob os seus cuidados e, certamente, incluída nos misteriosos planos de Deus.
Características: 
- Castrada, vermifugada e vacinada; 
- Porte médio; 
- Não late, mansa, ideal para apartamento; 
Contatos para adoção, zona norte de São Paulo - SP: 
Fabiana Arantes
Tels.: (11) 3496-6982/ 7647-4620

terça-feira, maio 25, 2010

É meu e ninguém tasca

O notebook me mereçe, pois somente eu posso cuidar-lhe, dar-lhe a atenção devida, torná-lo amigo de todas as horas e oferecer-lhe trabalho por anos à fio.

Eu mereço um Netbook