Links do Ocioso, agregador de conteúdo

sexta-feira, agosto 28, 2009

Reunião de vencedores

Uma feira diferente, não pela sua constituição, pois será organizada como todas as outras, com cercadinhos e com cada um dos padrinhos ou donos daquele bichinho que aguarda pacientemente a sua vez de ser adotado, não acontecendo ele volta para o seu lar temporário, ansiando por um dia melhor. O mérito deste evento são os participantes de quatro patas.
Não são estrelas de televisão, ganhadores de feira de beleza ou competidores ágeis de circuito de velocidade, estão acima destes: são especiais, todos são portadores de alguma deficiência. Ganharam medalhas da vida por terem sobrevivido a condições que alguns de nós humanos não suportariam. A única exigência por parte deles é não serem abandonados novamente, posto que precisam de cuidados especiais.
A ONG SAVA (Solidariedade à Vida Animal), organizadora do evento, elaborou um texto que não deixa dúvidas sobre o quão importante é este tipo de adoção:
VOCÊ SABIA ....
- Que um cão ou gato deficiente tem tanto amor pra dar quanto um sadio???
- Que talvez tenha até mais paciência com seus defeitos humanos que um eficiente????
- Que talvez não possa correr atrás de uma bolinha, mas se divertirá da mesma forma ????
- Que talvez não veja você, mas sentirá seu cheiro ????
- Que talvez não ouça seus passos mas verá você ?????
- Que talvez não possa latir, mas vai abanar o rabinho ????
- Que você é um grande ser humano por adotar um animal deficiente ?????

Ele acima de tudo te amara com todos os seus defeitos e nunca será capaz de te abandonar porque os animais conhecem a lealdade e a gratidão. O amor é pleno de todas as formas: não existe defeitos, diferenças ou distinção, quando ele toma conta de nós. Nossa vida é um espelho de nossas ações, não importa que não façamos mal, é necessário que pratiquemos o seu oposto sempre. Fazendo bem a um ser vivo, o maior vitorioso será você.

Título do evento: Sava-Feira de Adoção Animais Especiais

Data: 29.08.2009

Horário: 12h às 17h

Requisitos para adoção: Ser maior de 21 anos, xerox R.G., CPF e comprovante de residência, doar dois quilos de ração.

Outras informações: Feira de Adoção de Animais Deficientes. Se não puder adotar, venha nos prestigiar!
Local do evento: Tancredo Dogs - Ipiranga

Endereço: AV. PRESIDENTE TANCREDO NEVES, 580 - Ipiranga

Cidade: São paulo, SP

A Abeac (Associação Bem Estar Animal - Amigos da Célia) marca presença no evento com dois vitoriosos, o João Francisco e o Tico.
Contatos para adoção, São Paulo:

terça-feira, agosto 25, 2009

Compartilhando dramas

Drama ambientado em São Paulo, o filme "Nina" (2.004) dirigido por Heitor Dhalia, conta a estória da personagem homônima (Guta Stresser), desenhista pobre que não consegue melhorar seus rendimentos e começa a ter problemas com sua senhoria, Dona Eulália (Myriam Muniz), velha mesquinha e repugnante. Pressionada pela proprietária, começa a trabalhar para ela como doméstica. Vive humilhações constantes, suas correspondências são violadas, desvia um dinheiro que a mãe de Nina enviara a esta, tranca a geladeira para que ela não coma os seus alimentos, todos etiquetados com o nome "Eulália". O longa dialoga com o romance de 1.866 "Crime e Castigo", de Fiódor Dostoiévski, cuja personagem central Rodka também passar por dificuldades financeiras e se vira como pode, penhorando objetos a uma velha aproveitadora.
Parece que essa falta de ventura na vida é um mal por que passam as Ninas. Esta cadelinha também paulista e vivendo dificuldades tremendas em Perus, na Grande São Paulo, escapou da tragédia de vida que a personagem do filme não conseguiu se desvencilhar. Foi resgatada no começo do mês. Ostenta uma bela pelagem e é bastante sociável.

Características:

- 3 meses;
- Atingirá porte grande;
- Castrada e vermifugada;
- Já vacinada com a primeira dose de V8;

Contatos para adoção, São Paulo - SP:
- Sonia Lobarinhas
Tel.: (11) 8447-5811
- Cecilia Beatriz Miguéis
Animais Precisam Ajuda
Tel.: (11) 5579-1822/9339-8880
E-mail: animaisprecisamajuda@uol.com.br

Renascidos das cinzas

De acordo com a Monja Isshin Havens, que adota os preceitos do Zen-Budismo, os seguidores da doutrina devem integrar a morte à vida para se ter mais assertividade em suas existências. Explica que assim todos morrem conscientes de que buscam incessantemente realizar aquilo que é necessário da melhor forma possível. Para tal, convida a todos a afastarem para longe o lugar-comum "a morte faz parte da vida" e vislumbrarem-na a cada agulhada dada em uma nova etapa da costura existencial.
Para dar maior credibilidade às suas palavras cita em seu blog "A Partida", filme japonês que levou a estatueta de melhor filme estrangeiro este ano. O drama conta a estória de um jovem musicista que ganha a vida tocando violoncelo em uma orquestra em Tóquio. Dissolvida pelo patrocinador, vê seu sonho de sucesso desafinar. Desempregado e percebendo a mulher sobrecarregada com as despesas de casa, decide abandonar a carreira e retornar à sua cidade natal. É admitido em uma funerária, como preparador de corpos, o que envolve todo um ritual e muito profissionalismo. É na rotina de sua nova atividade que percebe a importância do que faz e a dignidade de honrar os falecidos em sua despedida.
Vida na morte foi o que o personagem principal Daigo Kobayashi encontrou, experimentou e entendeu. Não foi só ele que enfrentou esse processo. Outros nove filhotinhos passaram por isso também. A turma foi resgatada do cemitério da Vila Alpina e aguarda agora o momento certo para castração e posterior adoção responsável.












Contatos para adoção, São Paulo - SP:
- Ozilia
Tel.: (11) 9907-8034
- Cecilia Beatriz Miguéis
Animais Precisam Ajuda
Tel.: (11) 5579-1822/9339-8880

quinta-feira, agosto 13, 2009

[ADOTADOS] Rex, predador que virou presa

Fazendo jus ao seu nome, o cachorro Rex mostrou que tem peito. Traçando um paralelo com um velho conhecido e temido nosso, o Tiranossauro, mais conhecido pela alcunha de Tiranossauro Rex, oriunda de seu nome científico Tyrannosaurus rex, que significa "Lagarto Tirano Rei", dinossauro carnívoro e bípede que viveu no fim do período Cretáceo, habitando principalmente a América do Norte.
Com suas pernas fortes, atingia velocidade de cerca de 50 km/h, grandes dimensões e dono de uma mandíbula capaz de ingerir meia tonelada de comida de uma vez só, notabilizou-se como um dos maiores carnívoros terrestres de todos os tempos. Para ajudar em suas boquinhas, tinha dentes de 20 cm em média, do tamanho de uma régua escolar pequena, convergentes, cônicos e grossos, capazes de estraçalhar os ossos de suas presas.
Dentes grandes, sim, que deixariam o lobo mau da estória da chapeuzinho envergonhado. No entanto para poder fazer suas bocarras, deveria ter uma estrutura anatômica que o favoreçe. Os cientistas do começo do século passado teorizavam que o animal tinha o formato de um tripé, com o corpo a 45º e de cauda rastejante como a do canguru. Em meados de 70, os estudiosos começaram a descartar essa hipótese, pois causaria danos nas suas articulações. Atualmente, sabe-se que o dinossauro é como foi apresentado no filme "Jurassic Park", de Steven Spielberg. Corpo paralelo ao chão e com a cauda reta, servindo-lhe de direcionadora e fazendo o contraponto com a gigantesca cabeça.
Foi com essa postura que o xará canino saiu às ruas em um de seus livres passeios matinais. Predador que é, encontrou Kiara na rua e aconteceu. Voltou para casa na surdina, agradou seu dono como sempre faz e retornou à sua boa e velha rotina. Eis que dois meses depois, voltou à vizinhança prenha. O cão manteve as aparências, tratando-a com um pouco mais de carinho, o que gerou algumas suspeitas por parte do dono. Ele acolheu-a em sua casa e quando os filhotinhos vieram ao mundo, elas acabaram, Rex era o pai daqueles seis filhotes, esculpidos e encarnados como o velho cínico. Três de cada sexo, todos pretos com mancha marrom na altura das sobrancelhas. Todos prontos para adoção, assim como sua progenitora. Para tristeza de Rex e alegria de seu dono, que já não sabe mais como conter as investidas do macho.
Características dos filhotes:
- Cerca de dois meses;

Características da mãe:
- Vide foto abaixo;


Contatos para adoção:
ADOTADOS

segunda-feira, agosto 03, 2009

Nino, o italianinho

Brasileirinho, com ascendência inglesa e nome italiano. Nino é fruto da globalização moderna. Estamos tão habituados a ela que pouco pensamos sobre todo o período histórico que a antecede, salvo claro, aqueles que viveram plenamente tal estado precedente da humanidade. Essa reflexão, mais que importante, e a coincidência do ponto de partida dela, o nome do cachorrinho abandonado, remete-nos a uma telenovela brasileira produzida pela Tv Tupi no final de 69, "Nino, o Italianinho". Seu enredo, o dia-a-dia de um imigrante italiano que trabalha arduamente em terras transcontinentais.
Muitos se identificaram com ele. Chegou ao país aos 15 anos juntamente com um tio. À base de muito "lavoro", conseguiu comprar um açougue. Com seus trejeitos típicos, mas fervendo de alegria e de bondade, tenta fisgar o coração de Natália que prefere um bom e abastado partido, o patrão, dono de uma joalheria.
Nesse ínterim, uma outra paixão se insinua, Bianca, meiga, tímida e que manca em uma das pernas, sofre em silêncio pelo italianinho. Pouco a pouco, as personagens vão se aproximando e Nino, em uma dessas manifestação paulatinas do destino, começa a vê-la com outros olhos e a deixar seu coração se levar ao sabor das ondas da vida. O resultado é uma belíssima e celebrada união ítalo-brasileira.
Esse enlaçe sentimental de duros percalços, atrapalhado por falsas expectativas de ambas as partes, é o núcleo central da trama. Entretanto há outros personagens que pontuam-na com suas batalhas diárias pelo pão e pelo bem-estar. Vale ressaltar o papel de Dona Santa, viúva e mãe de três mancebos, a típica mãe italiana: abnegada, expansiva, trabalhadora e superprotetora. Sua figura era muito valorizada pela vizinhança, todos a procuravam na dificuldade. Ela foi a dona santa-casamenteira que desviou os olhares do italianinho de Natália para Bianca.



Uma estória de dificuldades e adversidades que pela sua vivacidade marcou a dramaturgia brasileira. Na vida real, com o nosso Nino não é diferente, dourado na carapaça, mas acinzentado pelo destino, esse cocker experiente foi resgatado no último sábado, após 15 sofridos dias na rua, vagando, submetido ao trio parada dura: fome, frio e chuva, batalhando seu espaço com outros animais de rua e se esquivando dos chutes do animal homem. Seus olhos são o espelho dessa vida difícil. A Abeac - Associação Bem Estar Animal Amigos da Célia está trabalhando na sua recuperação. Pelo menos sua visão já captou uma nova cor, o branco da clínica em que está internado. Quando ganhar forças novamente, merece um novo direito à vida, no seio de uma família interessada e responsável.

Características:
- 10 anos de idade;
- Cocker Spaniel Inglês;

Contatos para adoção, São Paulo - SP:
Marli - e-mail: marli@abeac.org.br
Euridice - Tel.: (11) 5631-3852 ou (11) 7535-4183