Links do Ocioso, agregador de conteúdo

terça-feira, dezembro 01, 2009

Respeitado em casa, finalmente

Quando pequenos, quase todos nós fazemos uma visita ao canil da PM juntamente com os professores, que se descabelam para manter o grupo coeso. No final da excursão, sempre tem um perdido que atrapalha a saída do ônibus, o lugar-comum desses passeios educativos. Todo mundo fica impressionado com os cães imensos e suas façanhas incríveis. Ao chegar em casa, conta para mãe, avó, tio, padastro, quem aparecer primeiro e vai tentar fazer com que o cãozinho de casa faça algo semelhante e nada. Oferece biscoito, fica tentando meia hora, de repente, parece que o animal entendeu, ele finalmente vai se sentar... alarme falso, ele sai correndo, pega a bolinha e a joga. Frustante, não?
É nesse momento em que todos se dão conta da necessidade do adestramento, um método que propicia uma convivência saudável entre os animais cão e homem. Do contrário, o seu querido será sempre um eterno adolescente, fazendo o que quer na hora que bem entende e onde quiser e não vai querer levar o contra. O adestramento básico para cães em português é composto de: recompensas, petiscos, agrados, brinquedos; o clicker, aparelho sonoro que marca o movimento bem sucedido do treinando; uso da voz como feedback para o animal, palavras como, "não", e de locuções interjetivas, entre as quais, "foi mal", "que feio"; as aulas tem duração de meia hora, duas vezes por semana, com ou sem a participação do dono. Os comandos básicos são: junto, senta, fica, deita, vem. Só o módulo elementar, ensinamento desses cinco comandos iniciais, já deixa o seu cachorro um gentleman, educadíssimo, prontinho para viver em sociedade.
Pegando carona nesse movimento de valorização do adestramento, Gloria Gilbert criou há 12 anos o projeto "Puppies Behind Bars" em que detentos de prisões de segurança máxima do Estado norte-americano de Nova York se esmeram no adestramento de filhotes de cães. Cerca de 400 peludinhos já estão hoje participando do programa, elogiado pela CIA (Agência de Inteligência Norte-Americana) e pelo FBI (Polícia Federal Norte-Americana). Essa convivência intensa com os pequeninos, aliada a um trabalho árduo de superação pessoal, já garantiu a um dos detentos, Michael Jerkins, um diploma e a possibilidade de trabalho futura como assistente de veterinário. O adestramento canino está garantindo tanto ao instrutor como aos ensinados um apaziguamento do espírito e a livre circulação, sem rótulos, na sociedade.
Acaso você, que se interessou pelo adestramento e pelas suas facilidades, quiser adotar um cãozinho que para a sua comodidade já está devidamente educado ou em fase adiantada de estudos, temos dois amigões muito simpáticos querendo uma amizade longa e duradoura (fotos com informações e contatos de adoção abaixo).